O Brasil perdendo a fé: o número de ateus cresce 1300% em 50 anos

 Em 50 anos o Brasil deixou de ser um país totalmente católico, embora permaneça majoritariamente católico. Os dados divulgados pelo IBGE (censo 2010) deixa claro um avanço expressivo dos ateus e dos sem religião. Entre 1960 e 2010, o Brasil viu encolher sua parcela católica de 93% para 65%.

Em 2000, os católicos eram 73,6% dos brasileiros, os evangélicos eram 15,4%, pessoas sem religião (7,4%), pessoas de outras religiosidades eram mais de 3%.

A pesquisa mostra que a queda na proporção de católicos foi acompanhada pelo crescimento dos evangélicos, que em 1960 eram apenas 4% da população e em 2010 alcançaram 22,2%. No entanto, os ateus e os sem religião que 1960 eram 0,6% da população agora representam 8%.

No caso dos evangélicos, o crescimento foi puxado pelas igrejas de origem pentecostal, como a Assembleia de Deus, que atingiram 13,3% do total da população. Os chamados evangélicos tradicionais como os luteranos e  batistas mantiveram um crescimento com uma oscilação menor.

Em números absolutos, os católicos somam 123,3 milhões de pessoas, os evangélicos, 42,3 milhões. Meio milhão de brasileiros praticam religiões ditas afro-brasileiras e 107 mil judeus residem no Brasil.

Da mesma forma 15 milhões de pessoas disseram não ter religião, desses 615 mil afirmaram expressamente serem ateus e 124 mil, agnósticos.

 

 Fonte: IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)